Dicas para regatear e Tutorial Passo-a-passo leilões on-line - Coisas.com (antigo leiloes.net) - Parte I


Adoro o mundo do negócio!

Astucia, inteligência, sabedoria, manha, também a vigarice, e o desafio que contém.
Adoro regatear, e comprar muito por pouco (e tal como eu, muitos).

Tal como já referi antes, eu consigo fazer muitas compras 3B (Bom-Barato-Bonito).

O único sitio onde não consigo regatear é, claro, no supermercado, ou médicos ou farmácias, de resto em todo o lado, eu tento, principalmente se for cliente habitual desse sitio. (Mas se puder pedir amostras, seja do que for, nem que seja no dentista, costumam ter amostras de pasta de dentes, eu peço! Mesmo que não use eu, dá para eu dar a amigos ou família!)

Por exemplo:
se eu for sempre à mesma costureira e tiver o mínimo de confiança com a pessoa, num dia em que leve duas peças, tento regatear o preço: "em vez de 12€ não consegue fazer por 10€? Ainda tenho mais peças para trazer para arranjar...".
Naquelas costureiras particulares, não naquelas cadeias que há lojas iguais em todo o lado.

No cabeleireiro, como vou eu e o meu companheiro sempre ao mesmo, tento usar o meu "encanto": "Não tem  um preço especial para casalinhos"?
Claro que em cabeleireiros que não sejam de cadeias de negócio, aqueles simples em que a dona normalmente está sempre presente.

Se for sempre à mesma papelaria/loja de artigos de artesanato e tiver confiança sempre com a mesma vendedora, tentar apelar a um desconto cliente, o chamado "desconto balcão".
Mas para esses casos, o "desconto habitual" é precisamente para os sítios que frequento sempre e já me conhecem e tratam pelo nome...

Por exemplo, em feiras ou lojas que dê para perceber que é o dono que se encontre presente, principalmente das minhas visitas ao Porto, Lisboa, etc, tento sempre aplicar o "CHARME", sempre que possível, e apelar ao desconto...

Mesmo em grandes superfícies, tais como aconteceu na Moviflor, como comprei uma cama que estava exposta, porque não tinham mais nenhuma, consegui um desconto muito significativo! Deu e sobrou para comprar a cómoda!

Agora, quero dar umas dicas de como ser um vendedor/comprador implacáveis!

Eu sou uma compradora implacável, mas não sou vigarista nem desrespeitosa.

O meu site preferido de vendas on-line é o anteriormente conhecido por LEILÕES.NET, actualmente (não sei por quê e não gosto, mas prontoCOISAS.COM

Já faço negócios por aqui desde Dezembro de 2011.
Já vendi tudo o que tinha para vender, fiz muitos bons negócios, tanto de compra como de venda.
Confio muito neste site, porque é extremamente prático, e até à data sempre me auxiliou e fez valer o seu propósito.
Em termos de organização é puramente prático, intuitivo e completo.




O que é o Coisas - Leiloes.net?

O Coisas - Leiloes.net é um serviço online que proporciona aos utilizadores registados um espaço e um sistema na Internet para a compra e venda de artigos através de vendas a preço fixo ou leilões.

Comissões de venda
Sempre que um negócio termina com vencedor é cobrada uma comissão de venda ao vendedor. A cobrança dessa comissão é automática e corresponde a 5,5% do valor final do negócio.
A comissão de venda será cobrada até um mínimo de € 0,01 e até um máximo de € 55. Ou seja, mesmo que o negócio termine com um preço final de, por exemplo, € 2000, a comissão será apenas de € 55.

Para mais informações: Informações Coisas.com

A comissão vale a pena, pois ao contrário dos outros sites de venda: OLX, CUSTO JUSTO, ... o leilões têm o sistema feedback, que dá para ler a avaliação do comprador/vendedora, se é positiva ou negativa, de confiança ou não.

Vale a pena pois tem um sistema de "Conta pessoal" onde dá para organizar todos os negócios e compras, o que comprámos, quanto devemos, para ver se o vendedor já enviou, o que nos compraram, quando, por quanto e um sistema interno de mensagens para comprador/vendedora trocarem impressões, duvidas e tudo o resto referente ao negócio!

Pode-se a qualquer altura alterar, corrigir ou anular o negócio sem pagar mais por isso, inserir se o artigo já tem os portes incluídos ou qual é o valor dos portes, e até tem uma calculadora de comissão (encontra-se quando no acto de "vender" vamos inserir o preço "comprar já" e/ou preço inicial pelo qual começará o leilão):



Vou utilizar o meu exemplo de vendedora, pois não quero usar o perfil de outras pessoas:






Como podem ver, em menos de dois anos tornei-me numa vendedora 5 estrelas com um feedback de 100% positivo.


Estou muito orgulhosa com este meu feito, ainda mais conseguir quando tive mais de do primeiro ano longe de casa e só podia fazer os envios às sextas-feiras mal chegava a casa, tinha de fazer tudo a correr, e às vezes até levava as coisas para o quartel, pedia boleia até ao Entroncamento depois do trabalho e ia a correr para apanhar os ctt abertos para fazer os envios.

Também já fiz vendas pessoalmente, o que é bem mais seguro e prático (sempre em espaços públicos e abertos, claro). Normalmente combino em frente a um banco, aos ctt, a um café, etc...

Quando eu e o meu companheiro nos juntámos, tínhamos IMENSAS coisas que apareceram durante mudanças que já não usávamos e estavam a ocupar espaço.  

Como precisávamos mais do dinheiro para comprar coisas para a casa, comecei a vender essas coisas que tínhamos .

Cometi erros, já fui enganada (principalmente em sites como o olx), no leilões, nunca! Cometi erros de vender as coisas ao desbarato, frustrada por o artigo estar à venda à muito tempo (fui impaciente). Já calculei mal os portes e acabei por perder lucro por ter de meter o valor do meu bolso...

Por isso, imprimi a tabela de preços dos cttTabela Preços CTT e arranjei duas balanças! Uma normal, para coisas como livros e coisas mais pesadas (até 5kg) e outra de extrema precisão, até ao miligrama.

Vendia (e vendo) roupa, livros, joalharia, consolas, electrodomésticos (basicamente coisas que comprei, mas nunca mais usei), dvds, videojogos, jogos tabuleiro, telemóveis, bijutaria, etc, etc... Tudo o que eu já não uso mas pode fazer a diferença a alguém.

O que não vale a pena ser vendido (o preço dos portes passa o valor do artigo) eu dou aos pobres ou a associações. Antes metia num saco aberto ao pé de uma passadeira ou ao lado de uma escola, mas agora descobri aqui ao pé um centro da Cruz vermelha e quero ver se ainda esta semana vou lá entregar as roupas e outros artigos de casa que já não uso lá, se aceitam e se vai fazer a diferença para os desafortunados. Espero bem que sim...

O preço dos destaques dos anúncios (gosto de chamar o coisas como sempre chamei "o leilões") no leilões não é nenhuma barbaridade como já vi nos outros. Eu própria já destaquei anúncios e não houve uma única vez que tenha destacado algo e esse artigo não se tenha vendido (pode ser coicidência, mas que foi, foi). Mas só vale a pena destacar os artigos de maior valor, pois tem de valer a pena pagar o destaque. TARIFÁRIOS

Vou explicar-vos como faço:

Nunca meto um negócio em destaque com o "comprar já", pois assim fico a perder dinheiro, pois só recebo uma  oferta por ele, quando talvez me possa render mais!
O que faço é, por exemplo: Pego num livro que ou já li e não quero para a minha biblioteca ou um que tenha comprado por comprar e não me chama a atenção, vejo qual o valor dele no mercado na Internet, em lojas onde esse artigo normalmente esteja à venda.
Então vamos lá ver, imaginem que eu tenho um livro que o valor dele no mercado é de 19€.

Crio um negócio: (VENDER), completo o anúncio com o máximo de detalhes (já vos exemplifico detalhadamente mais à frente) e quando chega à parte do vender ou licitar, coloco (imaginemPreço inicial: 8€.
Duração: (10 dias) Máxima (neste caso agora são só 10 dias de duração o negócio, antes eram 14).

Acabo de completar todos os dados e assim o negócio vai estar destacado durante 10 dias, em que, se o artigo agradar a uma quantidade necessária de possíveis compradores, teremos uma "batalha" de licitações.
É divertido.

Também temos de ver que tipo de pessoas queremos atrair! Se destacar-mos um livro, vamos atrair pessoas mais viradas para esse gosto. Se tiverem mais negócios de artigos de Electrónica, fazem destaque nesse campo. Se for de jogos, e assim por diante...

Eu normalmente destaco o que tenho mais para venda! Se tiver uma grande quantidade de livros para vender, destaco um livro.

 O nosso negócio fica exposto tipo assim:



Pois depois de o nosso negócio estar destacado, quando a pessoa clica no negócio aparece: "outros negócios do vendedor".
Assim não estamos a destacar só um, mas todo os nossos negócios!!

Noutro post vou explicar mais detalhadamente como criar um anuncio para vender completo e chamativo.

Outra coisa que queria comentar neste post, é uma recente serie que ando a seguir religiosamente, no Canal História.
Não sei se já ouviram falar: 

O Preço da História


ADORO! É extremamente interessante e divertido! Adoro o Rick (o primeiro da frente do lado esquerdo) e também adoro o "velhote" (dá para ver qual é). Dos outros dois lá atrás (o filho do Rick - atrás do velhote e do seu melhor amigo - o que segura a espada) já não gosto tanto.
São infantis e desrespeitoso para com o Rick e o Velhote, principalmente o filho do Rick, tem muito a mania e pensa que sabe mais que os outros.
O amigo dele é simplesmente burro à força toda.
Mas tudo acaba por ter a sua piada. Acontece com cada coisa e aparece com cada coisa na loja de penhora deles, que nunca pensei que existisse sequer!
O V diz que detesta o Rick, porque é um vigarista. Tenta comprar tudo ao desbarato para depois vender por 10x mais. Eu não concordo. Negócio é negócio, ele dá um valor, quem quer, quer, quem não quer, ponham-se a andar! A loja é dele, só lá vai quem quer, ele não obriga ninguém a lá ir.
Claro que é um negócio incrível  ele tem muitos conhecimentos, especialistas em tudo o que se possa imaginar, historiadores, restauradores, pede a opinião aos especialistas dos artigos mais complicados de avaliar (até para ver se é falso ou não) para estipularem um valor e faz o negócio.
Se for preciso restauro, já tem quem o faça a bom preço. E no meio disto tudo quando compra algo já tem na ideia de potenciais compradores que conhece ou onde pode vender o artigo para ter o máximo de lucro.
Às vezes ele (e os outros) entusiasma-se, e compra algo que afinal não vale assim tanto e acaba por ter prejuízo.
Puro negócio, muito interessante!
Uma das minhas séries preferidas de sempre! Aconselho vivamente a verem!


Esta nova e singular série conta a história e tudo o que rodeia o negócio das casas de penhoras. A actividade é uma das formas mais antigas de banca e, até aos anos cinquenta, a principal modalidade de empréstimo pessoal nos EUA. Pawn Stars abre-nos as portas da única casa familiar de penhoras de Las Vegas, que dirigem três gerações da família Harrison. Avô, pai e filho entram em disparatados conflitos enquanto levam a gestão conjunta da empresa. A família Harrison viveu e sentiu o negócio da penhora fazendo uso de perspicácia na hora de calcular o valor de cada um dos objectos. Estes vão desde o misterioso até aos de indubitável valor histórico.

Que acham?

1 comentário:

  1. eu vendo principalmente livros escolares, mas este ano anda mais paradito a nivel de procura... lá estão à espera de serem vendidos :)
    Já vendi roupa e acho que vou voltar a colocar por lá e jogos também já vendi :)

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário e solidariedade ;)